Adubo de Borra de Café
Adubos e Fertilizantes

Adubo de Borra de Café

A borra de café é um excelente adubo orgânico e muitos jogam fora sem aproveitar todo o potencial nutritivo que ela oferece.

Ela é muito rica em nutrientes, especialmente o nitrogênio, mas também apresenta bons níveis de potássio, magnésio e fósforo, e é muito versátil, podendo ser usada no cultivo de diversas formas.

adubo de borra de café - cápsulas

Quando se pensa em borra de café é comum associar somente a que fica no coador de papel das cafeteiras tradicionais, mas nesse post vou mostrar também como aproveitar a que fica nas cápsulas de café usadas de máquinas como a nespresso.

Espero que esse post inspire muitos, que antes jogavam a borra fora, a começar a aproveitar essa fonte maravilhosa de nutrientes para as plantas.

Como Usar

A borra de café é um adubo muito versátil. Além de poder ser usada pura, também é possível fazer um excelente adubo líquido com ela, mas vou falar detalhadamente sobre isso mais adiante.

Para aproveitar a borra de café que sai do filtro de papel, do coador de pano ou até de cápsulas de máquinas de café, há duas ótimas opções: colocar no minhocário ou composteira ou usar direto nos vasos por cima do substrato.

Independente de como ela será usada recomendo que seja assim que for coletada. A borra de café mofa com muita facilidade, por isso não deve ser armazenada para ser usada depois.

adubo de borra de café

Para usar no minhocário ou composteira basta colocar no respectivo recipiente e cobrir com um pouco de material seco. Dependendo da quantidade usada, a borra de café deixará o húmus mais escuro. Essa é a melhor forma de usar a borra sem maiores riscos de ocorrerem excessos e também a melhor alternativa quando não é possível usar toda a quantidade produzida, evitando que vá para o lixo.

Para usar por cima do substrato ela deve ser colocada no canto dos vasos, longe das raízes e do caule da planta, e recomendo as seguintes proporções:

– 1 colher de café para vasos pequenos:

– 1 colher de sobremesa para vasos médios;

– 1 colher de sopa cheia para vasos grandes.

Recomendo o uso da borra de café uma vez por mês quando ela for colocada direto sobre o substrato.

Para o uso no minhocário ou composteira ela não deve ultrapassar por volta de 20% do volume total dos materiais. O húmus ou composto produzido deve ser usado normalmente quando estiver pronto, já que a borra estará bem processada.

Adubo Líquido

Outra excelente forma de utilizar a borra, e minha preferida para usar nas plantas, é fazer um adubo líquido. O processo é bem simples e basta usar 100g de borra para 1 litro de água. Eu costumo reaproveitar garrafas pet de 500 ml, então nesse caso seriam 50g de borra de café.

adubo de borra de café - cápsulas

Eu tenho uma cafeteira nespresso e cada cápsula tem 5,5g de pó de café, então preciso abrir 9 cápsulas para preparar uma garrafa de 500ml de adubo ou 18 cápsulas para 1 litro. As demais marcas de café em cápsulas costumam ter 5g de pó, então nesses casos seriam usadas 10 para 500ml e 20 para 1 litro.

Quanto ao pó de café de cafeteiras que usam filtro de papel teria que ser usado um medidor para mensurar os 50 ou 100g ou pode-se considerar que 5g seria equivalente a 1 colher de sobremesa rasa, aproximadamente.

Para preparar o adubo líquido basta colocar a borra na garrafa usando um funil e depois encher com água. Recomendo deixar curtir uma semana antes de usar.

Seja qual for a forma de uso desse adubo ele deve ser diluído na proporção de 1 parte do líquido curtido para 5 partes de água.

Esse adubo líquido feito com a borra de café e rico em nutrientes pode ser usado para limpar folhagens. Ao invés de usar um pano úmido com água, use o líquido depois de fazer a diluição para limpar aquelas folhagens que ficam com pó. Ele nutre e dá um brilho lindo às folhas.

adubo de borra de café

Outra forma de usar o adubo líquido é como fertilizante foliar. Para usar dessa forma basta diluir e borrifar a planta, evitando as flores e frutos, se houver. Recomendo o uso uma vez por mês.

O adubo líquido também pode ser usado nas regas, sempre diluído, e essa é minha forma preferida de usá-lo. Gosto de usar especialmente nas folhagens que ficam no escritório e faço as regas com esse adubo apenas uma vez por mês.

Borra de Café de Cápsulas Usadas

Quem tem cafeteiras que funcionam com cápsulas, como a nespresso, também pode aproveitar a borra de qualquer uma das formas que foram mostradas nesse post. É comum que as pessoas deixem de coletar a borra ao usar essas cafeteiras, mas o processo é bem simples. O vídeo abaixo mostra passo a passo como retirar a borra de cápsulas de café usadas.

Para calcular a quantidade de cápsulas que serão necessárias, dependendo de como a borra será usada, é importante saber que cada cápsula nespresso tem 5,5g de pó de café, as demais marcas costumam ter 5g.

Além da borra também é possível aproveitar o líquido que fica no recipiente coletor da cafeteira. Esse líquido já é mais diluído então eu uso na proporção de 1 parte do líquido para 2 partes de água e é o que recomendo. Ele pode ser usado nas regas, para limpeza das folhas ou como fertilizante foliar.

Cuidados

Apesar de ser um adubo maravilhoso a borra não pode ser aplicada sem critério nas plantas, porque pode trazer mais prejuízos do que benefícios. Deve-ser ter cuidado nas aplicações e usar em proporções corretas e seguras para não causar danos.

A borra de café, se for usada de forma inadequada, vai acidificar demais o solo, abaixando o pH, o que não é ideal para a maioria das plantas, que preferem pH mais próximo de neutro. Além disso o excesso de nitrogênio pode ser muito prejudicial e causar sérios danos às plantas, por isso a borra deve ser usada bem diluída, se for na forma líquida, ou em pequena quantidade, se for na forma sólida.

Não recomendo que a borra de café seja misturada ao substrato como adubo de plantio e manutenção como o húmus de minhoca, esterco, torta de algodão e etc. Também não recomendo usar com muita frequência, apenas uma vez por mês considero suficiente, seja qual for a forma de uso.

A forma mais segura de usar a borra é misturada à composteira ou ao minhocário. A forma mais arriscada de usar a borra é colocando diretamente nos vasos, mas se for tomado o cuidado de usar nas proporções recomendadas e na frequência adequada não irá causar danos.

Eu gosto muito dos resultados que a borra traz, mas uso com cautela nas proporções e quantidades que mostrei nesse post e nunca tive problemas. Aliás eu uso exclusivamente nas minhas plantas de interior, que são essencialmente folhagens, as peperomias, avenca, espada de são jorge, mini alocacia, etc. No vídeo mostrei a aplicação no vaso de um tomateiro, mas foi apenas para mostrar a forma de usar, porque em frutíferas e floríferas priorizo outros adubos como o esterco bovino, por exemplo.

10 respostas para “Adubo de Borra de Café”

  1. Vou compartilhar rapidamente a minha experiência com o uso da borra, como forma de enriquecer a sua publicação!

    – Para armazenar: deixo em um pote de vidro fechado na geladeira, já que não consumo café e recebo a borra em quantidades moderadas e preciso realmente garantir que não mofe.

    – Tive uma péssima experiência colocando diretamente no solo: mau cheiro após 7 ou 8 dias e muuuitas drosófilas em torno do vaso. Também notei que atraiu os gatos para a região da aplicação… Tudo isso mesmo cobrindo com várias camadas de substrato a região onde apliquei.

    – Também prefiro utilizar em forma de adubo líquido e diluo diretamente no regador quando vou fazer as regas. Porém diluo ainda mais que você pois aplico semanalmente nas folhagens e de 15 em 15 dias nas outras plantas (nestas menos, pois o excesso de nitrogenio pode atrasar a floração).

    – Já tive problemas no início, quando ainda não sabia sobre a diluiçao adequada e você ainda não tinha escrito este belíssimo post. Os principais foram excesso de brotações, sem desenvolvimento de raízes para acompanhar (o que terminou por definhar a planta) e aumento considerável do tamanho das folhagens, sinal que uso como indicador de que o nível de nitrogênio está exagerado. O verde das folhas também se tornou bem mais escuro que o habitual em todas as espécies e foi este o primeiro sinal que observei antes de as coisas começarem a dar errado na fase de experimentação.

    1. Catarine que comentário perfeito! Você precisa aparecer mais por aqui kkk. : )
      Eu usei direto apenas para mostrar no post e fazer o vídeo, mas não tive problemas com drosófilas, porém no meu caso foi em uma planta na varanda, acho que no seu foi dentro de casa não é? Acho que lembro de você publicar algo sobre isso no seu insta.
      Ótima dica de armazenar na geladeira, eu não tinha lido em lugar nenhum sobre ela.
      Abraços Floridos

  2. Olá! Parabéns pelo blog. Sou um jardineiro meia boca (comecei com o hobbie faz pouco tempo) e, por acaso, acabei descobrindo esta página. Suas dicas têm sido preciosas para as minhas pimentas.
    Uma dúvida: caso eu não tenha feito um cafezinho essa manhã, posso utilizar do pó “virgem”?

    1. Thiago fico feliz de saber que o blog tem ajudado você. : ) Quanto ao pó de café não recomendo aplicar antes de ser usado. Depois da sua pergunta até pesquisei para ver se achava alguma coisa concreta sobre isso e não encontrei, porém eu não recomendo e não usaria porque por lógica concluo que a concentração de nutrientes e demais elementos, sejam os benéficos ou não para as plantas, estará ainda mais alta, e isso pode ser prejudicial.
      Abraços Floridos

  3. O filtro de papel utilizado como coador também pode ser adicionado na composteira. O ideal é fragmentá-lo para acelerar o processo de decomposição.

  4. Eu não acredito que você tenha entrado para o restrito e antipático clube dos egoístas. Sigo você desde agosto de 2010, mas agora estou cancelando meu cadastro em seu post. A Internet é pública e acho tremendamente desagradável pessoas que impedem que outros copiem matérias de interesse.

    1. Olá Antonio! Sinto muito que você tenha tomado essa decisão, mas pra mim não é egoísmo e sim proteção do meu trabalho e de qualquer forma o que não pode ser feito são cópias indiscriminadas do conteúdo do blog, nada impede o contato de qualquer pessoa comigo solicitando autorização para publicar meus posts, algo que eu nunca neguei. Recentemente tive casos de plágio do conteúdo do blog, que me causaram bastante transtorno. Nem toda cópia é plágio, existem as autorizadas e existem os que colocam os devidos links e referências ao autor, mas a maioria não é feita dessa forma e é muito triste ver seu trabalho, que custou tempo, pesquisa, etc, sendo copiado e publicado em minutos por quem só quer lucrar e infelizmente os meios para reclamar de plágio são bem limitados e dependendo de alguns fatores como provedor de hospedagem, plataforma usada para fazer o site, etc, as consequências são mínimas ou inexistentes, então resta aos autores tomar medidas para evitar. Isso ainda é algo que estou pesquisando e analisando, mas enquanto eu não testo outras alternativas as cópias de texto estão impedidas.
      Abraços Floridos

    2. Deplorável seu pensamento caro amigo! Também tenho blog, pesquiso muito, gasto dias para escrever um post, nunca copiei nada de ninguém; sempre que utilizo uma informação de outro site, dou os créditos. A informação pode-se usar à vontade, o que é muito diferente de roubar um conteúdo como sendo seu. Também fui acadêmica e pós-graduanda na área de saúde e a primeira coisa que aprendíamos quando fazíamos trabalhos era sobre a norma da ABNT e suas regras na indicação de bibliografia e o jeito correto de colocar créditos de onde tirávamos as nossas informações. Então quer dizer que se o senhor escrever um livro, e uma pessoa chegar e pegar o mesmo livro e lançá-lo com o nome dele, pro senhor tudo bem? Todo o seu trabalho, esforço, dinheiro, pesquisa, por água abaixo tudo bem pro senhor? Se for assim, não tenho mais o que dizer. Tenha um bom dia.

      PS: Nós, blogueiras de jardinagem, pelo menos que somos menores do que grandes portais como o da Carol Costa do Minhas Plantas, não ganhamos praticamente nada com nossos blogs. Tiramos algo com adsense, que quem trabalha com Google, sendo blog ou youtube, sabe que não rende praticamente nada, o que dá pra pagar ai nossos provedores e olhe lá. Fazemos porque gostamos. Realmente gostamos. Sentimos prazer em ler e pesquisar e gastar meses para fazer um post, pois que plantas temos que acompanhar ás vezes seu desenvolvimento, pra aí soltar um post. Temos prazer em partilhar nosso conhecimento e experiência, porque de nada vale se ter um conhecimento e levar para o túmulo. Por isso pessoas escrevem livros. Ganha-se dinheiro com isso? Sim, porque as vezes é o trabalho dessa pessoa, mas não quer dizer que faça pelo dinheiro. Primeiro faz porque se gosta, se vier o dinheiro, é a consequência. Todo mundo tem que pagar as contas, não? Mas nós realmente amamos receber mensagens de que ajudamos alguém no cultivo da sua planta. Se entre 1000 pessoas que acessam, somente uma ficar feliz, aí sim terá valido a pena.

      1. Comentário esclarecedor Camila! Nossa realidade é exatamente essa. Nos dedicamos para fazer esse trabalho, mas fazemos porque gostamos e ficamos felizes de ajudar, o que é o extremo oposto do termo “egoísta”.
        Abraços Floridos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *