Dálias (Dahlia Pinnata)
Flores

Dálias (Dahlia Pinnata)

Eu sempre admirei as dálias, não tem como não admirar flores tão lindas, mas minhas únicas tentativas de cultivo foram através de sementes até eu comprar os primeiros tubérculos delas na última viagem que fiz para Holambra.

Escolher quais dálias comprar foi um sofrimento, eram todas maravilhosas, mas eu não tenho espaço para cultivar várias, na verdade quando trouxe essas da viagem não tinha espaço para cultivar nenhuma e tive que achar um lugar para colocá-las. Depois de muito pensar eu trouxe as variedades rebecca’s world e a dark spirit da espécie dahlia pinnata.

Dália - Dahlia Pinnata

Demorei alguns dias para plantar os tubérculos, mas depois do plantio o crescimento foi rápido e elas se mostraram plantas de fácil cultivo e bastante resistentes. As flores são espetaculares! Essa espécie tem flores enormes e belíssimas! Há sementes delas disponíveis na Loja Sementes do Jardim, veja AQUI.

Plantio

Para o plantio dos tubérculos usei uma mistura de duas partes de substrato pronto, duas partes de húmus de minhoca e uma parte de esterco bovino. Dálias gostam de substrato rico em matéria orgânica e que não fique compactado. Como ela não é super exigente quanto à leveza do substrato não usei areia na mistura, mas pode ser usada e é uma boa opção.

Plantei deixando os tubérculos levemente cobertos por uma fina camada de substrato. O plantio foi feito alguns dias depois que cheguei de viagem, numa época bem quente, mais precisamente dia 10 de dezembro. Dez dias após o plantio os tubérculos começaram a brotar.

Dália - Dahlia Pinnata
Início da brotação

Plantei duas variedades de flores, a rebecca’s world e a dark spirit, mas somente a rebecca’s world brotou. Aliás uma curiosidade interessante sobre a rebecca’s world é que ela dá flores com padrões diferentes na mesma planta. A minha deu três tipos.

Dálias - Dahlia Pinnata
O terceiro tipo de flor visto de lado. Essa é a variação mais tradicional da rebecca’s world.

O crescimento dessa espécie de dália, a dahlia pinnata, é muito vigoroso. Os talos já começam a surgir grossos e crescem muito rápido.

Dália - Dahlia Pinnata
O talo da dália logo no início do crescimento
Dália - Dahlia Pinnata
A muda 6 dias após o início da brotação já estava bem mais desenvolvida

Diferente da dália anã, que normalmente é vendida em saquinhos de sementes, a dahlia pinnata cresce bastante. A minha muda tem 1,30 m de altura, mas elas podem atingir até 1,50 m, então recomendo vasos com pelo menos 25 cm de altura.

Dália - Dahlia Pinnata
Minha muda de dália já totalmente desenvolvida com 1,30 m de altura

Não recomendo que o plantio seja feito em um vaso menor para depois a muda ser replantada, o ideal é plantar já no vaso definitivo.

Nas épocas mais frias do ano, durante o outono e inverno, dependendo do clima local, os tubérculos entram em dormência e a planta perde toda a folhagem. Em alguns casos, quando o frio não é intenso, ela não perde a folhagem, mas pára de florescer, o crescimento estagna e ela fica sem vida, mais vulnerável a doenças e pragas. Se o clima for mais quente ela não entra em dormência e se estiver bem nutrida irá florescer durante boa parte do ano. Mesmo nos casos nos quais ela entra em dormência não é necessário tirar o tubérculo da terra. A dália é uma planta perene, então durante a primavera ela rebrota espontaneamente.

Sol

Essas plantas adoram sol e quanto mais sol mais flores. O ideal é cultivar em local no qual tenham sol pleno.

Se elas pegarem pelo menos algumas horas do sol da manhã será suficiente para florescerem, mas vão demorar mais e o número de flores será menor.

Dália - Dahlia Pinnata
Detalhe da folha da dahlia pinnata

As minhas pegaram bastante sol no início do crescimento até a primeira floração, mas depois passaram a pegar menos por causa da mudança de vaso, mesmo assim floresceram e cresceram bem pegando apenas 3 horas de sol.

Rega

Assim que os tubérculos são plantados, antes de começarem a brotar, as regas devem ser feitas somente quando o substrato seca levemente. Porém após a brotação deve ser feita mantendo o substrato levemente úmido, sem excessos para não apodrecer os tubérculos.

Quando falta água e elas secam um pouco a mais já começam a murchar, mas logo se recuperam depois que são regadas. Dálias não são plantas que resistem bem à falta de água, por outro lado se recuperam rápido.

Floração

A dahlia pinnata dá flores grandes e belíssimas, seja qual for a variedade de cor cultivada. Os botões florais surgem pequenos e vão crescendo e abrindo muito lentamente.

Levam vários dias até que a flor esteja completamente aberta. Depois que estão abertas ainda levam mais alguns dias para o miolo com pólen estar totalmente exposto e quando ele está totalmente desenvolvido parte da flor já murchou.

Dália - Dahlia Pinnata

As dálias fazem a autopolinização, então basta usar um pincel pequeno e espalhar o pólen entre as flores da própria planta para tentar obter sementes.

Dália - Dahlia Pinnata
Dália secando e com as sementes em formação
Sementes de Dália - Dahlia Pinnata
Sementes de dália

Quando a flor está completamente murcha e bem seca as sementes já estão formadas, mas o ideal é observar e verificar se realmente já estão totalmente desenvolvidas para colheita como na foto acima.

Para quem tem interesse em adquirir sementes elas estão disponíveis na Loja Sementes do Jardim.

Adubos

Para essa minha muda de dália uso os mesmos adubos que aplico nas demais plantas, que são esterco e húmus no plantio, como já mencionei no começo do post, e leite diluído e adubo líquido como foliares ao longo do cultivo.

O esterco e o húmus de minhoca eu misturo novamente no vaso a cada dois ou três meses. Confesso que não sou muito disciplinada com esse tipo de adubação, que é mais demorada e trabalhosa de ser feita (#faltatemponavida).

Dália - Dahlia Pinnata

O leite diluído eu uso como já mostrei detalhadamente no post Fungos. Além de prevenir os fungos, e minha dálias tiveram mesmo com o uso do leite, ele também atua como adubo foliar e é nítido como as plantas ficam mais bonitas quando ele é usado.

O adubo líquido, que também uso como foliar, eu mesma preparo com mostrei no post Adubo Líquido. Uso esse adubo e o leite juntos no mesmo borrifador uma vez por semana, aplicando sempre pela manhã em dias de sol.

Pragas e Doenças

Minha muda teve dois problemas, fungos e cochonilhas.

Os fungos apareceram depois quando ela já estava muito bem desenvolvida. Provavelmente isso ocorreu porque a minha muda de dália fica no mesmo vaso da moringa, bem ao lado do tronco onde estão as orquídeas e todos os dias eu rego as orquídeas no tronco e acabo molhando as folhas da dália. Esse excesso de água sobre as folhas é que facilitou a proliferação dos fungos. Tratei com leite diluído, como mostrei no post sobre essa doença, e ela não avançou, mas as folhas já afetadas continuaram com os sintomas e as retirei.

Dália - Dahlia Pinnata
Folha da dália com fungos

As cochonilhas vieram antes dos fungos e foram chatas de combater. A forma como as folhas da dália crescem facilita que pragas se instalem entre cada folha e o talo da planta, dificultando o tratamento.

Além de borrifar a planta com o óleo de neem preparado com sabão de côco e cravo curtido no álcool, eu passava uma escova de dentes nos cantinhos das folhas uma vez por semana para ajudar no tratamento.

Para outros problemas que as dálias podem ter recomendo a leitura do post Guia de Defensivos Naturais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *