Como Recuperar (Mini) Rosas

 

Quem nunca comprou mini rosas ou rosas em mercados ou lojas de jardinagem, que estavam lindas, mas depois de poucos dias começaram a adoecer e morreram?! Isso é muito comum!

O que ocorre é que as mini rosas que compramos nesses tipos de lojas são plantas de estufa, que recebem frequentes doses de agrotóxicos para se manterem saudáveis, além de viverem em ambientes muito controlados. Quando as trazemos pra casa, as colocamos numa situação de vulnerabilidade, se comparado ao que elas viviam antes, por isso a planta, que já tem pouca ou nenhuma resistência ao tempo, pragas e variações de condições climáticas, sofre e muitas vezes não resiste.

Recuperar Mini Rosas

Seja como for, a forma mais prática de se ter rosas ou mini rosas é através dessas mudas compradas em lojas de jardinagem ou mercados, portanto é melhor nos adaptarmos e tentarmos salvar as pobrezinhas que adquirimos.

Eu já fiz um post sobre o cultivo de mini rosas aqui no blog e recomendo a leitura, mas agora vou mostrar como eu fiz para tratar mini rosas que comprei e logo começaram a ficar debilitadas.

Nesse post você verá que com muita paciência, carinho, adubos e defensivos, é possível recuperá-las e fazê-las florir de novo. Vamos à fórmula e aos resultados …

Defensivos e Adubos, Todos Misturados

A fórmula que eu uso contém:

  • Adubo orgânico líquido (você encontra a receita aqui no blog no post: Adubo Líquido);
  • Cupro dimy;
  • Enxofre dimy (tem post sobre ele no blog: Enxofre);
  • Extrato de própolis.

Eu já usava todos esses itens antes, porém cupro dimy e enxofre dimy, ficavam cada um no seu respectivo borrifador, e o adubo líquido e o própolis eu usava na mesma mistura.

Recuperar Mini Rosas
Folhas com ácaros

Um belo dia resolvi testar a mistura e criar um Super Fertilizante Foliar, justamente por causa das mini rosas (aquele desespero básico, quem nunca…) e deu super certo.

Aboli os borrifadores separados e agora meu borrifador de adubo foliar contém todos esses ingredientes juntos e minhas demais plantas também amam.

A Receita

Para fazer essa fórmula basta preparar o adubo líquido da forma recomendada no post que fiz sobre ele e usar na proporção de 1/10 nessa mistura.

Acrescente uma colher de café de cupro dimy, uma colher de café de enxofre dimy e 30 gotas de extrato de própolis puro num borrifador de 500 ml.

Recuperar Mini Rosas
Folha doente da roseira, havia fungos e ácaros na planta

Misture tudo, agitando o borrifador, tomando o cuidado de deixá-lo bem fechado.

Recuperar Mini Rosas
Brotinhos saudáveis

Coloquei a receita nesse post de forma muito simplificada, mas é fundamental a leitura do post que fiz falando sobre essa fórmula, Meu Super Fertilizante Foliar, para ver passo a passo do preparo. Além disso no post específico tem mais informações sobre cada item que a fórmula contém, como atuam e o propósito de cada um.

Como Aplicar

Suponho que você apareceu nesse post porque estava pesquisando sobre como recuperar rosas ou pesquisando sobre doenças de rosas, então nesse caso, se sua planta já está com sintomas e debilitada, recomendo usar essa mistura três vezes por semana por duas semanas. Depois passe a usar duas vezes por semana até notar novas brotações e ver desaparecerem os sintomas de pragas ou doenças. Quando isso ocorrer, reduza para uma vez por semana.

Recuperar Mini Rosas
Primeira flor depois da recuperação da roseira

Se você caiu nesse post por acaso ou por ser inscrito na newsletter do blog (super obrigada por isso!) pode usar essa fórmula nas suas roseiras uma vez por semana como manutenção / preventivo e não há necessidade de mais do que isso, se não existem sintomas aparentes.

Recuperar Mini Rosas

Não se deve usar essa fórmula para tudo! Outras pragas ainda vão precisar de defensivos específicos, como pulgões, cochonilhas, moscas brancas, etc.

Resultados

Coloquei os resultados para mostrar a diferença de quando minha mini rosa estava decadente e definhando sem parar e de quando floriu novamente, depois de estar recuperada e sem nenhuma praga.

Quando a roseira chegou na minha casa estava linda, claro!

Recuperar Mini Rosas
A roseira linda quando comprei!

Aos poucos, mas com relativa rapidez, começou a definhar e ficar doente. Era possível observar ácaros e fungos claramente nas folhas.

Recuperar Mini Rosas
A planta debilitada e com muitas folhas doentes, mas na primeira semana de tratamento. É possível observar pelos pontos brancos nas folhas, que são resíduos da mistura.

Em bem pouco tempo de uso da mistura já foi possível notar novos brotos e folhinhas saudáveis despontando.

Recuperar Mini Rosas

É muito evidente a diferença entre as folhas doentes e saudáveis.

O aspecto da planta no geral foi melhorando aos poucos.

Recuperar Mini Rosas
A roseira bem mais saudável

As folhas doentes foram sumindo e dando lugar somente a folhas saudáveis.

A planta foi se recuperando, ficando bem bonita, e inevitavelmente vieram os primeiros botões.

Recuperar Mini Rosas

Em pouco tempo os botões se desenvolveram e confesso que os botões de rosas me fascinam. É uma das poucas flores que são lindas ainda fechadas. Acho os botões belíssimos!

Recuperar Mini Rosas

Desabrocharam lindas flores!

Recuperar Mini Rosas

Foi interessante observar a nítida diferença entre as flores quando comprei a planta e as que vieram depois.

Não consegui formar uma teoria sobre a diferença na coloração das flores. Sei que orquídeas são tingidas, é literalmente injetada tinta na planta, mas com a rosa acho que não ocorreu isso. As flores continuaram lindas, de tamanho similar às primeiras, somente a cor variou, mas continuaram sendo flores belíssimas!

Mas, sobre a recuperação da planta, foi impressionante o quanto a misturinha maravilhosa fez diferença. Já fiz um post só sobre ela, ensinando passo a passo como fazer, mas como ela foi criada justamente para tratar minhas mini rosas, eu precisava mostrar o antes e depois.

Espero, como sempre, que esse post ajuda alguém a salvar uma mini rosa ou qualquer outra planta de estufa que precise de adaptação em casa.

2 comentários em “Como Recuperar (Mini) Rosas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!