Reflorestamento Urbano
Pouco Espaço Boas Soluções

Reflorestamento Urbano

Eu amo tudo que esteja relacionado à natureza, o blog é prova disso, e algo que me fascina são as árvores, então pensar em reflorestamento é muito natural, mas por morar em apartamento o máximo que fiz por muito tempo foi admira-las.

Recentemente decidi cultivar frutíferas, que nunca poderia manter, pelo simples prazer de plantar as sementes, pesquisar sobre elas, descobrir suas preferências e finalmente doar as mudas produzidas para quem pudesse dar a elas o espaço que precisam.

Embalada pelas frutíferas comecei a observar mais as árvores lindas que sempre tive tão perto, moro em um condomínio bem arborizado e daí para começar a coletar sementes e plantar foi rápido.

Por muitas delas serem árvores grandes comecei a pesquisar e isso me levou a refletir sobre o reflorestamento urbano, que me levou a escrever esse post.

Dedaleiro
Dedaleiro

Depois dessa gigantesca explicação de como tudo começou para mim vamos ao que importa, reflorestamento urbano. Há muito o que dizer sobre esse tema e por isso o post ficou extenso e com muitos links (muitos mesmo), então sugiro ler todo o post primeiro, até o final, e depois voltar e ir clicando nos links que interessam. 

Pesquisar

A primeira coisa a fazer, e uma das mais importantes, é pesquisar, e o fato de estar lendo esse post indica que você começou fazendo a coisa certa ou pelo menos em algum momento sentiu necessidade de fazer isso.

Eu vou tentar abordar o máximo que puder nesse post e o que faltar vou deixar links que tenham as informações, mas dependendo do que for ser feito, mais pesquisas serão necessárias.

Se é importante pesquisar sobre qualquer planta que você deseja cultivar nesse caso é ainda mais fundamental, porque você poderá afetar o equilíbrio de algo que vai muito além do seu jardim.

Independente do que for ser feito, sejam bombas de sementes, coleta e plantio de sementes, etc, o ideal é pesquisar especialmente quais são as árvores que fazem parte da mata nativa da região que você mora ou da região onde irá lançar as bombas por exemplo.

Conhecer 

Talvez o intuito seja plantar árvores na calçada de casa, pode ser que a intenção seja fazer bombas de sementes para lançar em algum local ou simplesmente coletar sementes sementes e fazer mudas, acompanhar o crescimento e ficar com elas ou doar, seja como for, o que há de mais importante, na minha opinião, é escolher as espécies.

Deve-se ter um cuidado imenso ao escolher o que plantar porque há muitas espécies invasoras que não são nativas do Brasil, mas que tomam o espaço das nossas árvores. Por isso o ideal é plantar somente árvores nativas, preferencialmente nativas da região.

É incrível o quanto pesquisas simples e rápidas nos permitem descobrir tanta coisa, por outro lado realmente não é tão fácil assim descobrir as árvores nativas, mesmo sem se prender à região.

Achei alguns sites que só tinham nomes científicos, para um botânico talvez não seja problema, mas para um leigo sim. Achei sites com uma lista gigantesca de nomes e algumas poucas fotos, mas sem informação adicional nenhuma, o que também deixa inúmeras dúvidas. Também achei sites com poucos nomes, mas todos com fotos de longe das árvores, sendo pra mim pelo menos impossível reconhecer com certeza aquela espécie se eu a visse.

Diante da dificuldade de achar informações com facildiade fiz um vídeo mostrando algumas espécies nativas, com fotos da folhagem, flores, frutos e sementes. Acho importante mostrar todos os elementos para que a identificação seja feita com maior grau de certeza, já que há muitas árvores com flores e folhagens parecidas e o maior diferencial é o formato do fruto e das sementes.

Estou fazendo dois posts, dois catálogos, um de árvores nativas e outro de espécies exóticas para complementar esse post e ser uma orientação com pelo menos algumas espécies incialmente. Depois vou aos poucos acrescentando outras. Por hora já tem o vídeo no ar com algumas espécies nativas.

Pesquisando para esse post descobri que árvores que eu sempre achei que fossem nativas não são, como por exemplo o flamboyant, o jacarandá mimoso e o resedá, que são árvores tão comuns, pelo menos aqui em São Paulo.

Jacarandá mimoso
Jacarandá mimoso

Também descobri espécies invasoras como a leucena, que é super comum, mas eu não tinha dimensão do quanto… Passei a observar mais os caminhos por onde passo e notei que onde há uma leucena há várias outras próximas e elas certamente não foram plantadas ali, nasceram espontaneamente. É nítido que as demais árvores não se espalham com a mesma facilidade.

Por outro lado conheci espécies nativas maravilhosas que nunca tinha visto ou reparado como o dedaleiro e o ingá. Por isso pesquisar é tão importante!

Ingá
Inga

Encontrei o site Mudas Nativas.org, que traz algumas listas de árvores nativas por região. Não há fotos das espécies e para quem não conhece as árvores por nome fica complicado pesquisar no intuito de identificar, mas ele ajuda por pelo menos trazer listas separadas por região.

Há também o site Flora do Brasil que é muito técnico e de difícil entendimento para um leigo, mas repleto de informação.

Se a variedade que você achou linda, coletou sementes e fotografou não estiver no catálogo e simplesmente não for possível identificar nesses sites que recomendei, sugiro postar fotos no grupo Identificação Botânica do Facebook que é excelente e já me ajudou muito.

Coletar

Essa parte do processo é muito divertida e interessante, pelo menos pra mim.

Eu tento correr aos domingos em um parque bem próximo de casa, quase nunca consigo, mas quando vou é uma terapia pra mim e lá foi o primeiro local que escolhi para coletar sementes e tirar fotos e o que eu sugiro é exatamente isso, primeiro uma visita a parques e praças para quem não tem espírito aventureiro para fazer trilhas e se embrenhar na mata.

Independente do local escolhido o ideal é levar uma bolsa ou mochila, máquina fotográfica ou celular se gosta de tirar fotos, água, e saquinhos plásticos ou envelopes para colocar as sementes. Também é bom levar uma caneta e etiquetas para anotar os nomes das sementes que coletar ou tirar fotos da flor ou fruto e logo em seguida das sementes para saber o que está levando pra casa.

Aldrago
Frutos do aldrago

Em São Paulo há no site da prefeitura uma lista com todos os parques municipais da cidade, 107 no total, separados por bairro. Eles estão divididos em parques urbanos, lineares e naturais, mas a maior parte dos conhecidos está em parques urbanos, como o Ibirapuera, Villa Lobos, etc. As fotos do parques são lindas e vale a pena até fazer um tour, cada dia conhecer um parque novo.

Além dos parques municipais temos os estaduais e no portal do Governo do Estado há uma lista deles, não tão boa e completa quanto a da prefeitura, mas é válida.

Recomendo também uma visita ao Horto Florestal de São Paulo. No site Áreas Verdes das Cidades tem um post bem interessante sobre ele e com muita informação.

No caminho do trabalho, de casa, de algum curso, etc, provavelmente também terão árvores e é uma oportunidade para colher sementes. Além de procurar na própria árvore, se a altura permitir alcançar as sementes, olhe no chão em volta dela e provavelmente haverá algum fruto, vagem ou sementes perdidas por ali.

Eu sempre ando com sacos plásticos na bolsa e já usei algumas vezes para guardar sementes e mudas coletadas no caminho do trabalho.

Caliandra
Vagem aberta da caliandra

Claro que existe a opção de comprar sementes, mas não há nisso o prazer da coleta, de estar perto da natureza, observar pessoalmente a beleza das árvores, descobrir na hora como são suas sementes e frutos, parecer uma louca no meio da rua olhando pra cima e depois pegando coisas do chão… Tudo isso é impagável. Porém as sementes vendidas também podem não ser das variedades compradas, então o mais seguro e divertido é a coleta.

Plantar

Talvez algumas pessoas apenas coletem as sementes, mas acredito que a maioria irá pelo menos tentar plantar algumas espécies e eu recomendo a experiência. Aqui no blog há inúmeros posts sobre plantio de sementes e recentemente fiz um vídeo sobre uma das técnicas que mais uso.

Eu estou plantando, aos poucos, algumas das sementes que coletei. Comecei pela pata de vaca e ela é de fácil germinação. Germina rápido e cresce com uma rapidez maior ainda. A cada dia a muda está mais alta e mais desenvolvida e com suas lindas e fofas folhinhas já no formato que dá nome à planta.

Outra que adoro e já plantei é o dedaleiro. Teve uma germinação relativamente rápida, não tanto quanto a pata de vaca, mas também recomendo para começar. Essas duas espécies são ótimas até para quem não tem muita experiência com plantio de sementes.

Acho muito válida a experiência de plantar sementes de árvores, ainda que não seja possível manter as mudas, porque há ótimos destinos para elas como vou falar em seguida.

Manter (ou Não)

Se houver espaço e local disponível no chão é possível manter algumas mudas, mas só sugiro isso se for muito bem analisado porque as árvores crescem muito e precisam de espaço. Ainda que leve anos elas irão crescer e talvez se tornem um problema com o tempo, por isso deve-se pensar com cuidado antes de decidir manter uma árvore de médio ou grande porte.

Árvores de porte pequeno, em alguns casos, podem ser mantidas em vasos sem problemas, desde que seja um vaso bem grande. Mas independente de ser uma árvore de pequeno, médio ou grande porte aqui também cabe a pesquisa especificamente sobre aquela espécie que você quer cultivar. O post Catálogo de Árvores Nativas deve ajudar bastante nesse aspecto e em breve espero publicar.

Manacá da Serra
Um manacá da serra na calçada

No que diz respeito ao reflorestamento urbano só o fato de ter árvores no jardim de casa contribui, mas é sempre bom ter mais árvores espalhadas pela cidade em locais comunitários ou públicos como parques, praças e calçadas.

Começar verdejando a própria calçada já um progresso, mas há regras para isso e devem ser seguidas. Aqui em São Paulo temos um ótimo material disponibilizado no site da prefeitura com todas as normas que devem ser seguidas para o plantio de árvores em calçadas, o Manual Técnico de Arborização Urbana.

Doar

Se as mudas ou sementes não serão mantidas, que é o que ocorrerá na maioria dos casos, há algumas opções para dar a elas um bom destino.

Uma ótima opção, e eu diria que é a primeira delas se o intuito é realmente atuar no reflorestamento urbano, é doar as sementes coletadas ou mudas produzidas para algum grupo atuante na sua cidade ou participar de mutirões de plantio de mudas.

Aqui em São Paulo capital eu conheço e recomendo o Projeto Árvores Vivas que atua de diversas formas, entre elas promovendo o Pic Nic de Troca de Sementes e Mudas que é um encontro muito bacana que ocorre periodicamente aqui na cidade e também em algumas outras cidades do Brasil.

Também temos em São Paulo diversas hortas comunitárias, farei um post só sobre isso depois, e entre elas está a Horta Comunitária da Saúde, que recebe, além de espécies de horta, mudas de árvores nativas da mata atlântica que são usadas em projetos de reflorestamento urbano. As mudas podem ser levadas nos dias de mutirão na horta. As datas dos mutirões são divulgadas no grupo do Facebook.

Outra forma muito bacana de curtir todo esse processo e fazer sua parte é participando de encontros de troca de mudas e sementes simplesmente. Nesses casos outras pessoas podem receber suas mudas, sem ser necessariamente usadas em um projeto de reflorestamento urbano, mas não deixa de ser uma forma de propagar o verde. Aqui em São Paulo eu costumo ir, quando consigo, no Pic Nic de Troca de Sementes e Mudas que já mencionei, mas também há o projeto Semear que promove encontros regulares, desses nunca consegui participar.

Uma outra alternativa super interessante, que já mostrei aqui no blog, são as bombas de sementes, que podem ser feitas com argila ou jornal, mas sugiro usar sementes de árvores e outras plantas que façam parte da mata nativa do local onde serão jogadas. Além disso o ideal é escolher espécies que germinem com certa facilidade. Estou fazendo experiências com algumas árvores como pata de vaca, uvaia, dedaleiro e etc, e depois farei um post sobre cada uma delas, mostrando todo o processo de crescimento.

8 respostas para “Reflorestamento Urbano”

  1. Acabei de achar seu Blog! Demais!!! Estou encantada!!! Quero muito iniciar um projeto de reflorestamento na minha cidade, mas não sei por onde começar! Seu post me ajudou muito!!!

    1. Gabriela fico muito feliz de ter ajudado. Estou fazendo o post Catálogo de Árvores para complementar esse post também. Qualquer dúvida estarei à disposição.
      Abraços Floridos

  2. Costumo manter limpo o terreno de uma casa de campo, na qual com frequência me deparo com mudas que nasceram espontaneamente ali. Surgiu a ideia de ao invés de descartar um grande volume de folhas secas debaixo das arvores, que contem muitas sementes, deposita-las numa área degradada que gostaria que se recuperasse. Acredito que mesmo que não de certo, a matéria orgânica a se formar dará uma mãozinha a natureza. Tem conhecimento sobre o possível exito desta empreitada?

    1. Oldoni acho ótima a ideia! Aliás você pode inclusive usar sementes coletadas dessas árvores, se tiver, e jogar nesse local colocando as folhas por cima, ou apenas colocar as folhas direto e certamente alguma semente irá junto. Mas de qualquer forma as folhas secas não devem ser descartadas mesmo que você não use em outro local porque são excelente adubo e cobertura de solo. Deixe as folhas apenas juntando ao redor das árvores ou outras plantas.
      Abraços Floridos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *