Tripes ou Lacerdinha (Thysanoptera)
Pragas e Doenças

Tripes ou Lacerdinha (Thysanoptera)

O Tripes é uma praga pouco conhecida, mas causa grandes estragos. Infestações avançadas debilitam muito a planta e normalmente chegam a um ponto crítico justamente por desconhecimento.

Tripes-Lacerdinha-Praga das Plantas

Quem não conhece essa praga tem dificuldades para identificar e enquanto isso a planta sofre. Por isso é importante conhecer o inseto causador do problema, saber reconhecer os sintomas e tratar de forma adequada.

A Praga

O inseto que causa os sintomas, conhecido popularmente como tripes ou lacerdinha, pode ser um dos muitos da ordem Thysanoptera. Normalmente ele é preto, alongado e bem pequeno, difícil de ver. Na verdade, para quem já o conhece pessoalmente, ele lembra um piolho e dá uma coceira louca (e totalmente psicológica), principalmente na cabeça, depois de vê-los andando pelas plantas, ou talvez só eu tenha essa reação bizarra.

O tripes que apresento aqui é o tipo específico que apareceu nas plantas que ficam no meu local de trabalho, mas ainda que os insetos que você encontre tenham um aspecto um pouco diferente, provavelmente serão tripes se os sintomas baterem. Apesar de muitos serem pretos, há também insetos amarelados, alaranjados e castanhos-escuros.

Pelo que pesquisei o responsável no meu caso é o Selenothrips rubrocinctus. Caso entomólogos ou agrônomos leiam esse post por favor me corrijam se eu estiver errada quanto à espécie.

É importante explicar que nem todo inseto da ordem Thysanoptera é prejudicial para as plantas, mas todos aqueles que são efetivamente responsáveis pelos sintomas causados pela praga tripes são dessa ordem e causam danos porque são fitófagos e sugam a seiva das plantas.

Sintomas

É muito comum confundir os sintomas de tripes com fungos, principalmente antracnose, por causa das manchas que essa praga causa nas folhas e dos danos que podem ocorrer também em frutos. É importante verificar o verso das folhas e ver se há adultos ou pontinhos pretos sugerindo a presença deles.

Tripes-Lacerdinha-Praga das Plantas
Manchas que parecem antracnose, mas são sintomas de tripes nessa planta

É interessante observar que as manchas surgem um pouco diferentes em cada espécie e algumas mal aparentam sintomas. Nesse último caso, ao invés de folhas muito manchadas e amarelando, o mais evidente é o pouco ou nenhum desenvolvimento da planta, o que dificulta mais ainda a identificação da praga já que esse sintoma pode estar associado a inúmeras causas.

De uma maneira geral os sintomas mais típicos do tripes são folhas com manchas de cor marrom, cobre ou prateadas.

Tripes-Lacerdinha-Praga das Plantas

Tripes-Lacerdinha-Praga das Plantas

Tripes-Lacerdinha-Praga das Plantas

Apesar do primeiro sintoma evidente ser as manchas, elas não são evidência concreta da presença do tripes, são apenas uma consequência da presença deles e podem ser sintomas de outras pragas ou doenças. O que dará a certeza de que o problema é o tripes é que, ainda que as manchas na parte de cima das folhas sejam de cor marrom ou cobre, normalmente o verso delas é prateado e nele são encontrados pontinhos pretos e insetos adultos, o que carateriza a presença dessa praga.

Tripes-Lacerdinha-Praga das Plantas
Verso da folha
Tripes-Lacerdinha-Praga das Plantas
Verso da folha com um inseto adulto

À medida que a planta fica infestada as folhas começam a amarelar, as brotações surgem deformadas e a maioria já com manchas. O desenvolvimento da planta como um todo fica muito prejudicado e ela só definha.

As fotos abaixo são da Debora, uma leitora muito querida do blog, que teve uma planta bastante debilitada por essa praga.

Veja também o vídeo com um dos insetos andando numa folha e fotos de plantas com os sintomas característicos dessa praga.

Tratamento

O tratamento que testei e deu super certo foi feito com óleo de neem e sabão de côco, seguindo a receita abaixo para borrifador de 500ml::

– 1 colher de sobremesa rasa de detergente neutro ou de côco direto no borrifador ou dissolver 10g de uma barra de sabão de côco (meu preferido) na mesma água fervente do preparo do fumo. Para conseguir as 10g (aproximadamente) basta cortar uma barra de 200g de sabão em 4 partes iguais. Depois corte cada parte pela metade e depois corte pela metade novamente e dilua esse último pedacinho. A diluição não precisa ser perfeita. Se sobrarem pedaços do sabão não há necessidade de esperar que todos se dissolvam, basta coar;

– 1 tampa (a do próprio frasco) de óleo de neem.

Coloque tudo isso no borrifador e o que faltar complete com água.

Essa mistura deve ser aplicada a cada 3 dias ou 1 vez por semana, se a infestação não estiver muito grave, até que não sejam notados mais sintomas ou vistos insetos adultos.

Recomendo aplicar uma vez por semana também o adubo líquido borrifando toda a planta, exceto flores e frutos se houverem, para ajudar na recuperação. Outros tipos de adubos podem ser usados, dependendo da rotina do cultivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *