Jiboia (Epipremnum aureum)
Folhagens

Jiboia (Epipremnum aureum)

Finalmente vou apresentar minha jiboia, a Olívia, para os leitores do blog e falar sobre o cultivo. Ela é a única planta da minha casa (e são muitas) que tem nome e também é a única que convive com os meus gatos sem supervisão. Só por esses detalhes ela já se torna especial.

Jiboia - Epipremnum aureum

Olívia fica em segurança, leia-se longe dos meus gatos, pendurada no alto da parede da minha sala em um pequeno painel em frente à mesa de jantar e ao espelho que reveste toda a parede oposta. Quando entro em casa, mesmo à noite chegando do trabalho, já a vejo e isso me traz um bem estar enorme. Pode não parecer algo muito significativo, mas para mim é. Chegar em casa e ser recebida com carinho pelos meus gatos e já ver a Olívia me traz conforto e faz da minha casa um lugar mais feliz. 

Percebe-se que a Olivia é muito querida pra mim, mas as jiboias em geral são plantas especiais por serem perfeitas para interiores, sendo uma das poucas plantas que realmente se desenvolvem bem em ambientes internos sem sol direto em nenhum momento do dia. Elas dão mais vida para a casa, para o escritório e até para banheiros, se tiverem espaço e forem bem iluminados.

Apesar de tudo que as jiboias têm de bom deve-se tomar cuidado e mantê-las fora do alcance de animais e crianças por serem tóxicas como já mencionei no post Plantas Venenosas para Animais. Uma boa solução é deixá-las no alto, como a Olívia fica, ou em cômodos aos quais os animais não tem acesso.

Plantio

Quando comprei a Olívia optei por mantê-la no vaso original e isso é algo que nunca acontece. Em regra eu sempre faço o replante, mas nesse caso não fiz porque o vaso dela encaixou perfeitamente no painel que comprei para a parede, então preferi não mexer e ela está super bem e tem um ótimo crescimento.

Caso a opção seja por replantar eu recomendo que seja usado um substrato bem leve. Jiboias não gostam de substratos compactados, apesar de se adaptarem muito bem a praticamente qualquer tipo de solo. Uma mistura que eu recomendo é usar uma medida de substrato pronto de boa qualidade, uma medida de húmus de minhoca e meia medida de areia de rio (fina ou média) ou areia de construção.

Caso haja dúvidas sobre como fazer a mudança de vaso recomendo a leitura do post Como Plantar Mudas e o vídeo que acompanha o post e mostra em detalhes todo o processo.

Ao fazer a mudança recomendo que o vaso escolhido seja pelo menos um pouco maior do que o vaso original. Jiboias não precisam de vasos muito grandes, mas um vaso médio é o ideal. Como elas crescem rápido, dependendo das condições, um vaso pequeno logo teria que ser trocado.

Um detalhe importante é que a jiboia é uma planta invasiva, portanto não recomendo o plantio dela fora de locais controlados. Ela não deve ser plantada no solo ou em áreas muito abertas onde possa espalhar-se livremente porque ela domina o local.

Além de ser invasiva não é uma planta nativa, sendo originária das Ilhas Salomão, mais um motivo para evitar que ela se propague de forma descontrolada entre a flora nativa. Também não deve ser plantada próximo à base de árvores ou outras plantas, porque ela provavelmente irá sufocá-las.

Sol

A jiboia é uma planta muito versátil e se desenvolve no sol e à meia-sombra. É uma das poucas plantas que realmente sobrevive muito bem e se desenvolve em ambientes apenas com luz indireta, sem pegar sol em nenhum momento do dia.

Uma característica fantástica da jiboia é justamente o fato de poder ser cultivada à meia-sombra e ainda assim ter um bom desenvolvimento. Indico a jiboia para quem sente falta de ter plantas, mas não tem muitas opções por não ter sol.

Jiboia - Epipremnum aureum

As jiboias também podem ser cultivadas em locais nos quais elas pegam sol direto. Perto de onde trabalho tem uma parede em um shoping coberta de plantas típicas de meia-sombra, como columéia batom, peperomia, aspargo pendente e claro, a jiboia. Entre todas essas variedades a jiboia é a que mais cresceu e os ramos são enormes, com mais de 2 metros de comprimento, as folhas são bem largas e nota-se que a cor é mais clara, um verde mesclado com amarelo bem forte, e há muitas manchas nas folhas, indicando que pegam mais sol. Já a minha Olívia, que não pega sol, tem as folhas menores, menos mescladas e a cor de fundo é um verde bem escuro.

Basicamente a jiboia pode ser cultivada tanto no sol quanto à meia-sombra, não há uma regra específica. Porém, dependendo das condições de cultivo, a planta vai adquirir características bem distintas. Se cultivada somente com luz indireta as folhas ficarão verde escuras, menores e o crescimento da planta como um todo será mais lento. Se for cultivada no sol as folhas ficarão maiores, mais claras e o crescimento será muito acelerado.

Rega

Essa é uma planta que gosta de água e prefere substrato levemente úmido, mas deve-se tomar cuidado e regular bem as regas se ela fica em ambiente interno como a minha, porque o excesso é prejudicial.

Jiboia - Epipremnum aureum

Eu rego a Olívia uma vez por semana, sempre aos domingos. Se estiver realmente muito calor por vários dias rego uma segunda vez na semana, mas em regra é apenas uma vez. Mas isso porque ela está em ambiente interno, plantada em vaso de plástico e a retenção de umidade nessas condições é maior.

Se a planta estiver sendo cultivada em ambiente externo irá precisar de mais regas. Se o cultivo for no sol, provavelmente precisará de regas diárias em pequena quantidade se o calor não for excessivo ou em maior quantidade se o clima estiver quente e seco, mas claro que deve-se analisar a umidade do substrato antes de cada rega.

Adubos

A jiboia definitivamente não é uma planta exigente. Mesmo se for cultivada em vasos sem adubo algum ela se desenvolve bem. Digo isso porque conheço algumas que são mantidas assim, incluindo a que me faz companhia no trabalho e uma que minha mãe cultivou por anos apenas em um jarro com água. Apesar desses casos o ideal é que ela receba uma adubação periódica e preferencialmente com matéria orgânica, como húmus de minhoca.

Jiboia - Epipremnum aureum

Para a adubação da Olívia eu costumo usar o adubo líquido e o líquido que tiro da minha cafeteira quando a limpo, que escorre das cápsulas de café usadas. Ambos são usados na mesma diluição que mostrei no post Adubo Prático II. Quanto à frequência confesso que não tenho uma regra bem definida para as folhagens que mantenho dentro de casa, entre elas a jiboia, mas normalmente uso um desses dois adubos uma vez por semana ou uma vez a cada 15 dias.

Pragas

Olívia nunca teve nenhuma praga, felizmente, e as jiboias de uma maneira geral são plantas muito resistentes. Se você tem dificuldade com cultivo e quer ter a sensação de sucesso ao cuidar de uma planta tente a jiboia e não irá se arrepender.

Apesar da minha jiboia nunca ter tido pragas recomendo a leitura dos posts do blog sobre as pragas mais comuns em plantas, que são pulgões, cochonilhas, ácaros e fungos.

Propagação

O método mais prático de propagação das jiboias é a estaquia. Como elas tendem a crescer bastante em comprimento serão muitas as oportunidades de fazer mais mudas para espalhar pela casa ou para dar de presente. Eu já fiz mudas da Olívia e mostrei todo o processo, passo a passo, no post Como Fazer Mudas de Jiboia. Para quem deseja obter mudas da própria planta recomendo a leitura desse post e a experiência de fazer estaquia.

4 respostas para “Jiboia (Epipremnum aureum)”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *