Quebra-Pedra (Phyllanthus Tenellus)
Ervas e Temperos

Quebra-Pedra (Phyllanthus Tenellus)

A quebra-pedra, essa erva medicinal super poderosa, surgiu espontaneamente na minha varanda. Apareceu no vaso da minha laranjinha e começou a crescer loucamente. No início eu não sabia o que era, mas não costumo arrancar nada que nasce, então a deixei crescendo. Ela se desenvolveu tão rápido e ficou tão bonita que eu comecei a pesquisar, foi quando descobri que era quebra-pedra, que eu conhecia apenas por nome.

Quebra-Pedra - Phyllanthus Tenellus

Ela estava muito frondosa no vaso e quando ficou cheia de botões tornou-se ainda mais linda. Quando as flores abriram fiquei encantada com tanta perfeição e sutileza. Fiz muitas fotos dela, pesquisei, aprendi, desidratei depois da floração para fazer o chá e agora vou falar sobre essa erva medicinal linda, super resistente e de fácil cultivo. Aliás, ela é de tão fácil cultivo que você nem precisa fazer nada, porque a quebra-pedra se planta, cresce, floresce, espalha sementes por todo lado, faz tudo sozinha, é uma mocinha muito independente. Porém, apesar dessa capacidade de prosperar por si só, vale a pena saber mais sobre ela caso você decida adotar uma muda como eu fiz.

Plantio

As minhas nunca plantei. A primeira muda, a que nasceu espontaneamente e deixei crescer, se desenvolveu muito, ficou cheia de flores e se encarregou de espalhar sementes por quase todos os vasos da minha varanda. Aliás mesmo nos vasos que estão no alto da treliça têm mudas de quebra-pedra nascendo, o que é incrível.

Quebra-Pedra - Phyllanthus Tenellus
Mudinha intrusa de quebra-pedra

Apesar de nunca ter efetivamente plantado a quebra-pedra foi fácil observar do que ela gosta e perceber que o cultivo é simples. Ela não precisa de muito para prosperar.

Recomendo para o plantio um substrato com boa drenagem, já que ela prefere o solo secando levemente entre as regas. Uma mistura de substrato pronto, húmus de minhoca e areia é o que eu faria, sendo duas partes de substrato pronto, duas de húmus de minhoca e uma de areia. Apesar da recomendação do que é o ideal, é nítido que a quebra-pedra se adapta aos mais variados tipos de solo.

Não recomendo que ela seja cultivada com outras plantas no mesmo vaso, exceto se for um vaso grande e a outra planta seja forração, outra de pequeno porte ou uma planta que crie poucas e pequenas raízes. A quebra-pedra é aparentemente delicada, mas é muito resistente e tem raizes enormes e muito fortes. Então se cultivada com outras plantas vai se impor, ocupando espaço e absorvendo boa parte dos nutrientes. O melhor é replantar em um vaso separado.

Sol

A quebra-pedra ama sol, muito sol. A minha muda ficava em um local da varanda no qual pegava sol quase o dia todo. Nesse vaso ela ficou linda e floresceu muito.

Quebra-Pedra - Phyllanthus Tenellus

Não só pela minha experiência, mas por todas as quebra-pedras que vejo por aí, recomendo sol pleno para ela como sendo o ideal. Porém, tenho mudas que nasceram em vasos que pegam apenas sol da manhã e elas cresceram lindas também e florescem. Então sol da manhã, desde que seja pelo menos 3 horas de sol direto, é suficiente para elas se desenvolverem bem.

Rega

As minhas mudas, que pegam muito sol, eu rego todos os dias, porque o substrato seca bem. Elas preferem substrato secando entre regas, nada de encharcar, mas se secar demais elas sentem e ficam murchas.

A quebra-pedra tolera bem a desidratação, mas sem exageros.

Adubos

As minhas mudas de quebra-pedra recebem os mesmos adubos que as minhas outras plantas já que estão sempre como intrusas nos vasos alheios.

Quebra-Pedra - Phyllanthus Tenellus

Os adubos que costumo utilizar em todas as minhas plantas são o leite diluído e o adubo líquido, que uso uma vez por semana como adubos foliares, borrifando folhas e ramos. Além desses adubos uso também esterco bovino misturado ao substrato nos plantios e replantes.

Pragas

A minha primeira muda teve ácaros vermelhos e cochonilhas, mas foi bem pouco. Usei os respectivos tratamentos, que são o enxofre dimy e o combo de defensivos, e rapidamente resolvi os problemas. Com outras plantas, mais sensíveis, certamente demoraria muito mais para erradicar essas pragas, mas a quebra-pedra mal se abalou. Ela tem uma resistência incrível! É sem dúvida uma planta de fácil cultivo e muito forte.

Benefícios

A quebra-pedra é uma erva medicinal maravilhosa, mas muitos não a conhecem e quando a vêem acham que é apenas mato. Quantos não devem ter quebra-pedra nascendo por todo lado em casa ou algum local próximo e até compram o chá sem saber que poderiam simplesmente colher o que mãe natureza nos dá. Com esse post espero que eu possa facilitar a identificação desse matinho lindo e muito útil.

Essa erva traz muitos benefícios, mas sem dúvida o mais evidente é o fato dela poder desfazer pedras nos rins. O próprio nome, quebra-pedra, já é bastante sugestivo, mas ela é conhecida assim também por nascer entre pedras de muros, calçadas e paredes.

Quebra-Pedra - Phyllanthus Tenellus

Além de ser usada para cálculos renais, a quebra-pedra também combate a cólica renal, ácido úrico elevado, inchaços, hepatite B, entre outros. Ela é uma planta com muitas propriedades, mas as principais são diuréticas, analgésicas e anti-inflamatórias.

Existem muitas espécies de phyllanthus, mas as mais conhecidas e utilizadas são a phyllanthus niruri, phyllanthus acutifolius, phyllanthus amarus e phyllanthus tenellus, sendo essa última a que eu cultivo.

A quebra-pedra é consumida em forma de chá e é contra-indicada para crianças, mulheres grávidas e mães que estejam amamentando. Também não é recomendado tomar o chá por um período prolongado. O que se recomenda é que um tratamento com uma a três xícaras por dia não ultrapasse 21 dias seguidos porque em excesso a quebra-pedra é toxica.

Para fazer o chá as medidas são de:

– 2 colheres de sopa cheias da erva seca;

– 1 litro de água.

Coloque a erva e água para ferver juntas. Depois que a água estiver fervendo deixe no fogo por mais 5 a 10 minutos. Sugiro deixar esfriar com a erva ainda na água para apurar o chá.

Podem ser tomadas no máximo três xícaras de chá por dia e por não mais do que 21 dias.

3 respostas para “Quebra-Pedra (Phyllanthus Tenellus)”

  1. Boa noite! A quanto tempo não venho aqui, costumava vir mais quando estava tentando plantar pimentas e tomates, porém ultimamente não venho a tentar plantar nada… Embora tenha aparecido algumas plantas no meus vasos que de vez em quando eu reviro a terra e tento adubar rs. Acredito estar nascendo boldo em um vaso (n sei como surgiu, talvez alguma rolinha ou outro passaro o tenha trazido), uma outra planta no mesmo vaso que não faço ideia ainda do que seja, e no outro vaso parece estar nascendo umas mudinhas de morango, que eu havia jogado as sementes a muuuito tempo e não vingaram…
    Mas então, achei interessante a sua publicação sobre a quebra-pedra, de inicio eu fiquei espantado pois a quebra-pedra que conheço através de meu é outra, mas vim ler o que você dizia, e após pesquisar no google descobri que existe outra, então eu não estou errado também.
    Sempre vi esta planta mas não sabia o nome, eu conhecia quebra-pedra como uma planta rasteira que nascia entre pedras (sempre pensei que o nome se dava a isso, mas que também servia para pedras nos rins..), com uma coloração do caule meio rosado, no google ela aparece como sendo quebra-pedra-rasteira. Gosto muito de aprender novas plantas, tento sempre catalogar mentalmente as plantas que vejo aqui pela redondezas rs.

    1. Que bom que você voltou Victor! Espero que se anime a plantar novamente : )
      Quanto à quebra-pedra rasteira você está correto sim. Existem dois gêneros que possuem plantas conhecidas como quebra-pedra, o phyllanthus, que mostro no post, e o euphorbia, que é essa que você conhece mais rasteira e ela também serve para pedras nos rins.
      Abraços Floridos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *